sexta-feira, 6 de agosto de 2010

"Deus odeia o pecado, mas ama o pecador": esse é o ensino bíblico?

"Deus odeia o pecado, mas ama o pecador": esse é o ensino bíblico?


Sem rodeios:

"Estas seis coisas o SENHOR odeia, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, o coração que maquina pensamentos perversos, pés que se apressam a correr para o mal, a testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos." Pv 6.16-19

"Porque tu não és um Deus que tenha prazer na iniqüidade, nem contigo habitará o mal. Os loucos não pararão à tua vista; odeias a todos os que praticam a maldade. Destruirás aqueles que falam a mentira; o SENHOR aborrecerá o homem sanguinário e fraudulento." Sl 5.4-6

"O SENHOR prova o justo; porém ao ímpio e ao que ama a violência odeia a sua alma. Sobre os ímpios fará chover laços, fogo, enxofre e vento tempestuoso; isto será a porção do seu copo. Porque o SENHOR é justo, e ama a justiça; o seu rosto olha para os retos." Sl 11.5-7

"Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece." Jo 3.36

Uma pergunta para reflexão: Deus queima o pecado ou pecador no inferno?

Para complementar, um ótimo vídeo do Paul Washer:



Legendas: Neto e Digo.

18 Comentários:

Neto disse...

Irmão Saulo,

O nosso maior problema, é como o Paul Washer denúncia:

"Nosso cristianismo é mais baseado em uma cultura sem Deus do que na Palavra de Deus!"

Deus abençoe!

Docil 43 disse...

Ola! Tem um so problema neste post: Todos nos sem excessao nenhuma somos pecadores, entao Deus nos odeia tambem? Voce deixou este ponto vazio e com isso estou em duvida. Ate mais e fique com Deus!

Saulo R. do Amaral disse...

Docil 43, a resposta esta no último versículo: "Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece." Jo 3.36

Vc tem razão: todos nós somos pecadores. Existem os pecadores sem Cristo e os pecadores com Cristo, os arrependidos e os não-arrependidos. A Bíblia fala que todos nós (cristãos) éramos filhos da ira, como os demais.

No entanto, a Bíblia usa, muitas vezes as palavras ímpio, pecadores... para se referir àqueles sem Deus, e retos, justos para se referir àquelas pessoas com Deus (Veja Salmo 1). Claro, devemos interpretar a Bíblia como um todo e sabemos que quando a palavra fala que alguém é justo não está dizendo que essa pessoa é justa em si mesma, mas que tem uma justiça imputada por Deus. Por isso, em certo sentido os cristãos são retos e justos e os não-cristãos são ímpios e perversos.

Isto é, devemos pregar que Deus odeia os pecadores e que a sua ira está sobre todos, exceto aqueles que se achegam a Cristo com fé salvífica. é justamente porque Deus se ira com os pecadores que eles precisam de Cristo para a salvação

Espero ter ajudado!

Um abraço!

Anônimo disse...

Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.
Rm 5.8
Deus Amou quem este passagem Bíblica?

Jair Kunzler disse...

Deus amou os Eleitos! conforme vemos no texto de Rom.8.29-34:

Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.
E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou.
Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?
Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?
Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.
Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por n

Saulo R. do Amaral disse...

O Jair já respondeu essa questão mt bem. Muitas pessoas têm a tendência de ler os textos fora de contexto e acabam usando "nós", "todos" como termos universais.

Não sei o que vc sugeriu com a pergunta: "Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.
Rm 5.8
Deus Amou quem este passagem Bíblica?", pois se vc quer dizer que que "nós" significada todos os indivíduos da raça humana vc terá uma grande dificuldade nos próximos versículos. Vc teria que dizer que todos são escolhidos de Deus e que Deus justifica a todos. Isto é, vc seria um universalista. Se todos são justificados, então ninguém vai para o inferno, pois estão todos salvos e Cristo intercede por todos eles. Nem precisaríamos pregar o Evangelho.

Anônimo disse...

não,não sou universalista,apenas quis mostrar como explicito esta que Cristo morreu por nos(que cremos),sendo nois AINDA PECADORES,só...

Anônimo disse...

otniel,o anonimo acima...

Saulo R. do Amaral disse...

Agora entendi a tua ênfase. Há diferença entre o amor de Deus por seus eleitos, suas ovelhas, e pelo resto da humanidade. Agora, preciso ver como conciliar esse versículo que citaste com aquele que diz que éramos filhos da ira, como os demais. Qqer novidades, te respondo. Abraço!

Jair Kunzler disse...

Tem um versiculo que diz que sem sacrificios não há remissão de pecados (Heb 9.22), obviamente, antes do sacrificio de Cristo, éramos pecadores, ou seja, éramos pecadores antes de sermos resgatados pelo precioso sangue de Jesus, e Deus nos amava, por isso nos comprou, nos justificou. Por amor de Si mesmo, ele o fez assim.

Saulo R. do Amaral disse...

Anônimo, aqui está uma resposta completa aos teus bons questionamentos: http://www.monergismo.com/textos/eleicao/Deus-nunca-odeia-cristao_kyle-baker.pdf

Vinícius Pimentel disse...

Saulo,

A meu sentir, o post contém um aspecto da história, mas não contém a história completa.

No livro "A difícil doutrina do amor de Deus", D.A. Carson também questiona essa frase "Deus odeia o pecado, mas ama o pecador". Todavia, ele o faz mostrando cinco expressões distintas do amor de Deus:
(1) o amor peculiar intra-Trinitariano de Deus;
(2) o amor providencial de Deus por toda a criação;
(3) o amor de Deus pelo mundo caído (Carson rejeita que uma exegese honesta de Jo 3.16 e semelhantes se refira apenas aos eleitos);
(4) O amor efetivo de Deus pelos eleitos, que é uma expressão distinta do amor que Deus possui pelo mundo em geral;
(5) e o amor de Deus condicionado à obediência do Seu povo.

Essas cinco expressões de um mesmo amor (é assim que eu entendo a exposição de Carson) estão amplamente demonstradas na Bíblia. Esquecer-se de qualquer uma delas nos leva a uma compreensão errada, desequilibrada, do amor de Deus.

Por isso, acredito que a resposta dada no post é correta, se estamos falando do amor de Deus como expressão da Sua escolha soberana. Nesse sentido, é certo, Deus odeia o pecador, pois há de voltar-se em ira e furor contra ele no dia do juízo. Porém, há um outro sentido no qual Deus ama esse mesmo pecador, tanto que de muitas formas lhe apresenta o Evangelho e o convida à salvação. Ou seremos hipercalvinistas?

Por isso, em última instância, eu creio que a frase "Deus odeia o pecado, mas ama o pecador" é uma expressão legítima da natureza todo-amorosa de Deus. Ela é apenas uma expressão incompleta, na medida em que se esquece de alertar aquele mesmo pecador de que, se ele permanecer rejeitando o amor de Deus na oferta de Seu Filho, haverá de experimentar o furor, o ódio, a ira de Deus que há de ser derramada contra toda a impiedade e sobre todos os ímpios.

Nessa linha, insiste não só D.A. Carson, mas também D.M. Lloyd-Jones e o próprio John Piper.

Essa posição me parece mais bíblica, mais equilibrada, em consonância com os muitos textos bíblicos que falam sobre o amor de Deus.

Em Cristo,
Vinícius

Saulo R. do Amaral disse...

Sim, ontem estava lendo o comentário dele sobre João, e estava bem no vs. 3:16. Eu compreendo a posição dele, a do Piper e de outros. Ainda não cheguei a uma conclusão a respeito desse amor de Deus por todo e cada indivíduo. Creio que isso caia na discussão sobre a graça comum, de alguma forma. Mesmo que essa posição firmada pelo Carson esteja correta, a frase "Deus odeia o pecado, mas ama o pecador" não pode ser usada sem muita explicação. Não acho que valha à pena usá-la, pois não nos traz nenhum benefício.

Agora, cara, não creio, realmente, que Deus ame todo o mundo. Deus amou Esaú? Ele amou Faraó? Deus amou Judas? Acho que em todos esses casos a resposta é negativa. Algumas pessoas são destinadas ao inferno. E vc até pode falar de um tipo de amor de Deus, uma certa benevolência, em dar riquezas, comida, chuva, sol... mas mesmo isso é questionável. Por qual motivo Deus faz isso? Uma pista está em Salmos 73. Mesmo as coisas supostamente boas são colocadas como pedra de tropeço para alguns.

E não vejo que ese assunto tenha ligação com o hipercalvinismo. Teria se eu advogasse um certo julgamento de nossa parte, para vermos quem seria eleito ou não e, então, pregassemos o evangelho apenas para alguns. A questão toda está sendo analisada da ótica divina. Eu não tenho como saber quem são os réprobos e quem são os eleitos. Prego o evangelho indistintamente, mostrando que o mundo já está condenado e que, por meio de Cristo Jesus, os que creem serão salvos. Esse é o amor de Deus para com o mundo, explícito em Jo 3:16. De que maneira Deus amou o mundo? Dando o Seu filho para salvar todo aquele que nele crê - que são apenas aqueles a quem Deus elegeu e em quem gerou Ele o novo nascimento.

Saulo R. do Amaral disse...

Em suma, até concordo que existe uma benevolência de Deus para com todos, mas não sei se você nota que a frase "Deus odeia o pecado mas ama o pecador" tem em vista aspectos relacionados à salvação. E nesse sentido, até vc concorda que ela é enganosa. A benevolência de Deus não diz respeito ao Seu propósito salvífico. As pessoas que falam essa frase sempre têm em mente o pano de fundo do universalismo (seja ele hipotético ou não). E isso deve ser rejeitado!

E..... disse...

RESUMIND0,DEUS AMA,TODA RAÇA HUMANA ,COMPLETANDO AMOR IMCOMPARAVEL,GENTE O QUE QUERO DIZER ELE MORREU POR NOS NAQUELA CRUZ,PORQUE ELE NOS AMA,POR CAUSA DE NNOSSOS PECADOS SOFREU,DEUS NAO AMA O PECADO MAS AMA O PECADOR,*ODEIA*PARECE SER UMA PALAVRA BEM... IMPROPRIA,Deus NAO AMA O pecado mas ama o pecador,BEM MELHOR NE,A PALAVRA DE DEUS NAO E FORMULA PARA QUIMICA,MUITO MENOS COISINHAS DE CIENTISTA FOQUE NISTO,MUITOS ESTAO QURENDO ACHAR RESPOSTA PARA UMA PERGUNTA QUE JA TEM RESPOSTA,DEUS NÓS AMOU,AMA E SEMPRE AMARÁ,NAO PODEMOS SER MAS SANTOS DO QUE A SANTA BIBLIA SAGRADA.A PAZ

Anônimo disse...

Quando que se parou de pregar o amor de Cristo para pregar o ódio de Deus?

Saulo R. do Amaral disse...

Para se pregar o amor de Deus é necessário que se pregue sobre a ira de Deus. O mundo todo está debaixo da ira de Deus e Cristo veio para nos resgatar dela. Agora, que não crer em Cristo já está condenado. Leia Romanos. Veja os 3 primeiros capítulos.

Anônimo disse...

quando li sua dúvida concordei contigo mas depois encontrei a resposta: Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece." Jo 3.36

Postar um comentário

  ©Orthodoxia 2006-2017

TOPO