sexta-feira, janeiro 15, 2010

Recomendações de Lutero

Martinho LuteroHá outros, porém, que nunca ouviram nada de semelhante e que estariam totalmente dispostos a aprender, contanto que lhes fosse explicado, ou que tem o espírito tão fraco que não podem captar a doutrina com facilidade. Não se deve nem repreendê-los nem tratá-los rudemente, pelo contrário deve-se instruí-los com amizade e doçura, indicando-lhes causas e razões. Se não conseguirem captar com facilidade, mostrar-se paciente com eles por certo tempo. A esse respeito, Paulo diz (Romanos 15.1 e 14.1): “Acolham com bondade aquele que é fraco na fé”. De igual modo, Pedro (I Pedro 3.15-16): “Estejam sempre prontos a responder a todos aqueles que lhes pedem razões de sua esperança; mas façam isso com doçura e respeito”.
.
Vejam, portanto, que é com doçura e respeito de Deus que devemos ensinar nossa fé, se alguém sentir o desejo ou a necessidade de conhecê-la. Ora, se quiserem, diante dessas pessoas, dar prova de grande habilidade; se os recriminarem sob pretexto que não oram nem jejuam nem assistem à missa como devem; se exigirem que às sextas-feiras comam carne, ovos, isso e aquilo, sem indicar também com doçura e respeito às causas e as razões, então esses corações simples corações só poderão ver em vocês homens orgulhosos, insolentes e sacrílegos, o que é verdade, e pensarão que é inútil orar e fazer o bem e que a missa não é nada, além de outras coisas desse gênero. E vocês serão a causa desse erro e desse escândalo e vocês é que serão culpados. E é isso que é a causa de que eles julguem mal o santo evangelho e o caluniem, pensando que lhes foram ensinadas coisas abomináveis. De que lhes serve ter assim chocado seu próximo e criado obstáculos ao evangelho? Vocês apaziguaram seu capricho. Mas eles dizem: “Ora, pois! Vou permanecer em minha crença!” E fecham seu coração à verdade.
.
Se indicarem, porém, as causas com respeito e doçura (Como o ensina Pedro) e se disserem: “Caro amigo, jejuar, comer ovos, carne, peixe, a salvação não depende dessas coisas; pode-se fazê-lo ou abster-se dessas coisas, para o bem como para o mal; unicamente a fé salva, etc.”, seria o mesmo que dizer: “A missa também seria boa se fosse celebrada como se deve, etc.” Dessa maneira, viriam para escutar e acabariam por aprender o que vocês sabem. Mas se vocês se comportarem como insolentes, se mostrarem superiores porque sabem alguma coisa que eles ignoram e se fizerem como o fariseu do evangelho, tomando por pretexto, para fazer os arrogantes, o fato de que eles não sabem algo que vocês sabem, então vocês cairão no julgamento de Paulo que diz (Rom. 14.15): “Jam non secundum caritatem ambulas” (Já não te comportas segundo a caridade); e vocês desprezarão o próximo que deveriam servir com respeito e doçura.
.
A Liberdade do Cristão, Martinho Lutero.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

  ©Orthodoxia 2006-2017

TOPO