quinta-feira, setembro 03, 2009

Qual visão você tem da Lei?

É uma deformação grosseira do Cristianismo dizer que a graça exclui a pregação da lei de Deus. “É mediante a Lei que nos tornamos plenamente conscientes do pecado”, Paulo explica (Romanos 3.20). Num tempo em que o pecado é assumido como nada mais que uma construção religiosa imaginária, e que a doença psicológica existe somente devido a uma sociedade com disfunção, os crentes devem deixar claro os requerimentos morais de Deus que a humanidade tem transgredido. O homem é um pecador, e ele é tão incapaz que um poder, que não é o dele, deve resgata-lo da destruição.

Machen escreveu há décadas: “O verdadeiro professor para trazer os homens a Cristo é encontrado, portanto, agora e sempre na lei de Deus – a lei de Deus que dá aos homens a consciência do pecado. Uma nova e poderosa proclamação desta lei é talvez a necessidade mais urgente do nosso tempo [...] uma visão baixa da lei sempre produz o legalismo na religião; uma visão alta da lei faz do homem um buscador da graça”*. Os cristãos contemporâneos fazem o inverso: eles pensam que uma visão baixa da lei abre lugar para a graça, enquanto uma visão alta da lei é a base do legalismo. Contudo, é uma visão baixa da lei que engana o homem com o pensamento de que ele pode satisfazer seus requerimentos, mas uma visão alta da lei o leva a buscar a misericórdia de Deus em desespero.

* J. Gresham Machen, What is Faith?; Carlisle, Pennsylvania: The Banner of Truth Trust, 1991 (original: 1925); p. 141-142.

Vincent Cheung - Renovando a Mente, p. 51-52.

1 Comentário:

Thinking Christian disse...

Excelente! Lendo os Evangelhos, a gente vê que muitas pessoas tinham uma visão superficial da lei e, por isso, caíram no legalismo. Agora, você vê Paulo, que tinha uma visão alta da lei, pregando a justificação pela fé somente. E para quem acha que isso só ocorre no NT, basta olhar os Salmos, que exaltam a lei de Deus, mas que também ensinma a justificação pela fé somente. Uma coisa não exclui a outra. Antes, andam de mão dadas.

Postar um comentário

  ©Orthodoxia 2006-2017

TOPO