segunda-feira, agosto 31, 2009

Oferta estipulada - Cachê Gospel

Fp2:19-21 "Espero, porém, no Senhor Jesus, mandar-vos Timóteo, o mais breve possível, a fim de que eu me sinta animado também, tendo conhecimento da vossa situação. Porque a ninguém tenho de igual sentimento que, sinceramente, cuide dos vossos interesses; pois todos eles buscam o que é seu próprio, não o que é de Cristo Jesus..."

O mundo comercial Gospel tem subjugado a vida de muitos ministros e supostamente SERVOS de Deus. As ofertas de amor foram substituídas pela “oferta estipula”, “CACHÊ GOSPEL”, uma vez que as muitas despesas no fim do mês tem colocado em risco a vida de dependência dos nossos ministros de louvor. Uma empresaria me disse que o irmão ministro, não ministravam em igreja local, somente em eventos para a cidade, podia ser que um pastor ficasse chateado por terem ido em uma igreja e não na outra, e um outro “servo do Senhor” foi barrado pela “senhora” fonoaudióloga que havia proibido que o irmão cantasse mais que três vezes na semana afim de poupar a voz. Compreendo cada uma das situações, tenho porem minhas dúvida, se Deus vai aceitar essas explicações “naquele dia”.

É com vergonha e pesar que precisamos reconhecer que há muitos que servem aos seus próprios interesses e não aos de Cristo. Isso sempre foi assim e ainda é um dos mais sérios problemas na igreja em todo o mundo. Dentre todos os lideres que Paulo tinha na igreja, ele tinha apenas um a quem podia confiar as ovelhas. Timóteo – o qual servia as ovelhas e não a si próprio. Os outros serviam somente aos seus próprios interesses, diz ele.

Quantos entre nós estão hoje na igreja para buscar os interesses de Deus e não os seus próprios? Muitos que possuem poderosos ministérios, dado pelo Espírito Santo, infelizmente, ao invés de buscarem a face de Deus com humildade, começam a buscar aquilo que beneficia, ampara, e promove os “seus ministérios”. Muitos nem se quer perceberam que já estão muito “longe” de Deus.

Hoje estamos vivendo a era dos shows gospel, e até ímpios descobriram o “bom negócio”. Empresários incrédulos estão organizando e promovendo shows e festas Gospels para que os irmãos possam se divertir, juntamente com irmãos “laranjas”, recrutados afim de terem acesso às igrejas. Estamos nos vendendo para pessoas sem temor e propósitos de Deus, que apenas querem obter lucros, mas que jamais puderam pensar o quão tremendo seriam grandes noites de louvor e adoração em nossa cidade, promovidas por irmãos com encargos de Deus e pela sua glória, assim como festas promovidas debaixo de oração e propósitos de comunhão, santas ao Senhor, promovendo vínculos e edificação da igreja.

As ofertas agora são “estipuladas”. Não podem correr riscos com o que vão receber, pois precisam garantir o pagamento das contas no fim do mês. Decidiram não mais viver pela fé – afinal, o Deus que “chamou” pode falhar. Esqueceram-se apenas, de que “sem fé é impossível agradar a Deus”, e se não é por fé já não é ministério. Outros se negam a ministrar na igreja, ministram somente em shows, pois não podem causar ciúmes entre os pastores da cidade. Meu Deus, estão temendo ao homem antes de temer a Deus. Como pode alguém se negar a ministrar à aquela pela qual Cristo morreu, a igreja.

E não se engane, não podemos encontrá-la em ajuntamentos gospel sem vínculos. Aos irmãos MINISTROS, digo: “não permitam que suas fonoaudiólogas determinem os dias que devem ministrar a Deus juntamente com sua igreja, deixem isso para CANTORES”. Quanto a nós ministros, ouçamos a voz do Senhor Espírito Santo, e se assim Ele quiser, que nossa voz se arrebente, mas que sua glória venha, afinal o que é perder a voz por aquele que perdeu a vida em nosso favor.

Com amor, me volto para esses irmãos que estão sendo levados por esse caminho de mamom. Saiam dele, não vale apena misturar seu ministério com eventos sem propósitos divinos em troca de um cachê. Jamais aceitaria participar de um “Show Da Pregação” Promovido Pela Prefeitura em troca de um cachê. Eu compreendo a “angustia” de, às vezes, ter que esperar em Deus o dinheiro para pagar as contas do fim do mês que se aproxima, mas também tenho a certeza de que se Deus chamou alguém, Ele é responsável por patrocinar tal chamado, caso contrário, é muito perigoso e arriscado servir a um deus que não seja capaz, de nem se quer, sustentar seus ministros.

Infelizmente, parece que nos sentimos mais confortáveis dependendo dos nossos acordos comerciais do que depender Daquele que nos chamou. Estamos fora dessa “barganha gospel”, não cremos que a igreja possa ser edificada nessas bases empresariais, mas somente em um ambiente de relacionamento e generosidade. Cada ministro deve receber segundo Deus mover no coração do seu povo e segundo a instrução da Palavra.

Os itinerantes vivam das ofertas e os ministros da igreja local recebam segundo a orientação da palavra. Se estão servindo a Deus, nada mais correto que Deus mesmo estabeleça o valor e não nós, assim todos nós podemos servir a Deus no espírito de submissão e dependência, afim de que venha o seu reino.

Fp3:18-20 “Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo.O destino deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas. Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo,”

Naor Pedrosa
Fonte: adorar.net
Via: Daniel Souza

1 Comentário:

Josemar Bessa disse...

Entretenimento - no momento em que a ADORAÇÃO - se transformou em entretenimento - a caixa de Pandora foi aberta - nada bom sairá dela.

Postar um comentário

  ©Orthodoxia 2006-2017

TOPO