quinta-feira, março 19, 2009

Teologia: pressuposto para a santificação

O que segue abaixo é uma correspondência eletrônica trocada entre mim e um amigo próximo.

A questão começou quando ele leu a minha frase no concurso do blog Teologia e Vida, onde eu escrevi: “Teologia, não experiência, é o pressuposto para uma vida santificada; teocentrismo, não humanismo, é o que deve pautar a caminhada cristã, pois, afinal, é a mente de Deus (Sua Palavra) que deve subjugar a nossa, não o oposto".

Ao ler a frase, ele ponderou:

"Doutrina" ou "teologia" parecem palavras realmente muito distantes de "santidade", ou "comunhão com Deus", quase como se fossem opostos. Será que você sabe de algum texto que possa me esclarecer melhor isto?

_____

Tentarei, de forma resumida, esclarecer a questão.

Primeiro, vamos definir os termos.

Teologia: é simplesmente qualquer estudo que responda à pergunta "O que a Bíblia como um todo nos ensina hoje?" acerca de qualquer tópico (Grudem). Dentro dessa definição - "o que a Bíblia nos ensina hoje"- já fica pressuposta a aplicação dos estudos, pois os escritores bíblicos sempre aplicam seus ensinos à vida.

Doutrina: é o que a Bíblia como um todo nos ensina acerca de algum tópico específico. Digamos que os dois termos sejam quase equivalentes.

Agora, veja só: todos têm uma teologia. Se eu te perguntar, por exemplo, quem é Jesus, você vai tentar resumir o que a Bíblia diz sobre ele, não é? A diferença, então, não é estudar ou não estudar teologia, mas, sim, ter uma teologia organizada ou uma teologia desorganizada, uma teologia biblica ou não-bíblica.

Na frase do blog eu disse que a teologia é pressuposto para a santidade. Digamos que ela seja o início da santificação.

Vamos ver alguns versículos que mostram, de forma clara, que o conhecimento doutrinário correto é o princípio para uma vida feliz e santificada.

Pv 3:13 -15 diz que "feliz o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento, porque melhor é o lucro que ela dá do que o da prata, e melhor sua renda do que o ouro mais fino. Mais preciosa é do que as pérolas, e tudo o que podes desejar, não é comparável a ela".

Romanos 12:2 também diz para nos "transformarmos pela renovação da nossa mente", ou seja, pelo conhecimento da Escritura, "para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus". Você vê? Primeiro o conhecimento correto, que deve nos levar a uma prática correta.

Colossenses 3:9: "... que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade [doutrinas bíblicas], em toda sabedoria e entendimento espiritual [veja mais abaixo o que o Piper fala sobre 'coisas espirituais']; a fim de viverdes de modo digno do Senhor, para seu inteiro agrado, frutificando em toda boa obra e crescendo no pleno conhecimento de Deus". Viu? Conhecimento antes, prática depois.

Assim, a Palavra do Senhor é para conhecimento. Entretanto, se esse conhecimento não gera vida e mudança, algo está errado, pois João 17:17 diz que a função do conhecimento da Verdade (Palavra) é a de santificação. "Santifica-os na Verdade", a Palavra diz. Mas o que é a Verdade? "A tua Palavra é a Verdade", ela responde. Donde podemos deduzir que a Palavra nos santifica.

A Bíblia fala em doutrina? Sim, e de forma bem incisiva. Vamos ver alguns versículos:

At 2:42: E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.

1Tm 1.3: Como te roguei, quando parti para a macedônia, que ficasses em Éfeso, para advertires a alguns, que não ensinem outra doutrina...

Tt 1.9: Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os contradizentes.

2Jo 9: Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho. Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis.

Agora consegues ver como a Palavra é clara? Em última instância, sem a doutrina a nossa discussão nem faria sentido, pois, afinal, como sei o que é santidade ou o que é comunhão com Deus?

Assim, concluo que todos aqueles que não dão ênfase à sã doutrina e que não se importam em ter uma teologia biblicamente sólida vão contra as Escrituras e ficam totalmente suscetíveis a todo o tipo de erro. Quantas vezes eu já ouvi gente dizer que o importante não é conhecer muito a Bíblia, mas, sim, evangelizar? Mas, ora, quem autorizou tal pessoa a dissociar uma coisa da outra? Cristo não nos diz para irmos a todas as nações ensinando todas as coisas que Ele nos tem ordenado? “Dizer 'Esqueça a doutrina, vamos evangelizar' é tão ridículo quanto uma equipe de futebol que diz 'Esqueça a bola, vamos continuar o jogo'.” (Peter Lewis)

Para meditação, deixo um pequeno trecho do livro Em Busca de Deus do Pr. John Piper, em que ele mostra a estreita relação entre conhecer bem a Palavra e ser cheio do Espírito Santo.

"A Bíblia nos ensina que sejamos cheios do Espírito Santo: 'Não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito' (Ef. 5.18). Como vem o Espírito? Em Gálatas 3.3, Paulo pergunta: 'Recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé?'. A resposta, é claro, é: 'Pela pregação da fé'. Pregação do quê? Da Palavra de Deus!

O Espírito inspirou a Palavra, e por isso vai aonde a Palavra vai. Quanto mais da Palavra de Deus você conhece e ama, mais do Espírito de Deus você experimentará. Em vez de beber vinho, devemos beber o Espírito. Como? Deixando que ele controle a nossa mente: 'Os que se inclinam para o Espírito, [cogitam] das coisas do Espírito' (Rm 8.5) Quais são as coisas do Espírito? Quando Paulo disse em 1Coríntios 2.14: 'O homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus', ele estava se referindo a seus próprios ensinos inspirados pelo Espírito (2.13).

Por isso, antes de tudo, os ensinos da Bíblia são as 'coisas do Espírito' . Bebemos o Espírito ao voltarmos nossa mente para as coisas do Espírito, especificamente a Palavra de Deus. E o fruto do Espírito é alegria (Gl 5.22).”


Espero ter ajudado.

Saulo R. do Amaral

4 Comentários:

Miss Scott disse...

Ola , vi um clip do John Piper no youtube com o endereco do blog e decidir visitar !!! Obg por despor os videos on-line com legendas em portugues... Eu moro nos EUA e vejo muita coisa boa em ingles mas sempre procuro com traducao por causa das pessoas que leem a minha pagina !!!


Continue nos abencoando com os videos do Piper !!! he rocks !

Thinking Christian disse...

É um prazer legendar os vídeos do Piper a abençoar mais irmãos.

Abs!

Anônimo disse...

Estou apenas complementando o que o nosso Ir. Saulo Amaral com exito escreveu.

A Importância da Doutrina

Um desafio aos Pastores

Creio que todo cristão genuíno enfrenta este dilema em sua vida: "estou vivendo minha vida cristã baseada unicamente na Escritura ou vivo de acordo com o 'padrão evangélico' atual?".

Somos como os Bereanos, que, pelo fato de serem ávidos pela Palavra de Deus, examinavam todos os ensinamentos que lhes eram postos? Fiquemos alerta que o evangelicalismo atual vive sua vida mais baseado em canções (em sua maior parte, duvidosas) do que na Bíblia. Mas o que acontece quando descobrimos que muitos dos ensinamentos do mundo evangélico contemporâneo estão totalmente errados? Qual a nossa reação ao estudarmos história da Igreja e descobrirmos que o Cristianismo histórico desconhecia certas doutrinas que são pregadas hoje? Ficamos calados? Achamos que isso não tem muita importância, pois mais importante é a paz do que a doutrina verdadeira? E se muitas vidas estiverem em risco por causa desses erros? São questionamentos que devemos nos fazer. Aliás, devemos nos examinar constantemente de acordo com a Palavra de Deus.
Quando se estuda Doutrinas Bíblicas (Princípios verdadeiros da Palavra de Deus) A pessoa deve ter em mente a diferença entre experiência e conhecimento.
Para o aprendizado correto, o modo de estudar é de fundamental importância. Por exemplo, um elemento essencial, independentemente do assunto, é a regularidade, um compromisso inflexível com o estudo de temas particulares em ocasiões particulares e em lugares especiais. É esta regularidade, entre outras coisas, que evita que o estudo da Escritura se torne mero diletantismo ou entretenimento intelectual. A regularidade dá a esse estudo a qualidade de um regime quase profissional, por menos tempo que lhe seja dedicado, e por mais baixo que seja o nível da pesquisa. Folhear algumas páginas sempre que seja conveniente faze-lo pode ser um passatempo agradável, mas pouco tem a ver com um aprendizado sério. Não deveríamos fazer do estudo da Escritura algo mais do que um simples hobby?
Fundamental lembrar que não há estudo proveitoso da Escritura sem oração e a total dependência do Senhor, ou seria tão somente mero esforço acadêmico. É através da oração que nos comunicamos com o Criador. Que o Eterno nos conceda, pelo Seu Espírito, o entendimento correto das Escrituras e nos conduza pela mão de modo que andemos em Sua presença e sejamos perfeitos (Gênesis 17:1).

"Ensina-me Teu caminho, ó Eterno, para que eu possa andar sob Tua verdade e dedicar meu coração a temer somente Teu Nome. De todo meu coração hei de Te agradecer, e para sempre glorificarei Teu Nome, pois com Tua incomparável benignidade livraste minha alma do mais profundo abismo." (Salmos 86:11-13)

A Doutrina é Importante!

“Todo aquele que prevarica e não persevera na doutrina de Cristo não tem a Deus; quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto o Pai como o Filho” (2 Jo. 1.9).

“apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina de modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem” (Tito 1.9)

“Tu, porém, fala o que convém a sã doutrina” (Tito 2.1)

“prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina...” (2Timóteo 4.2,3ª)
“para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro” ( Efésios 4.14)

O cristão deve ter em mente em toda sua jornada os fundamentos de sua fé. Em primeiro lugar, ele precisa conhecer, examiná-los: de outra forma, como as bases doutrinárias poderão ser colocadas em prática? Em segundo lugar, o cristão tem a missão de expor e defender sua fé, conforme salientou Judas a necessidade de batalharmos pela fé "que uma vez foi dada aos santos" (v.3).
Para tomarmos posição declarada a favor das verdades fundamentais da fé cristã, é necessária a disposição para aprendê-la.
A igreja do Novo Testamento cresceu devido ao destaque dado ao ensino doutrinário; assim pôde ter um crescimento constante. Isto não quer dizer que a igreja não sofresse oposição, nem que não enfrentasse falsos ensinos e heresias, ao contrário, os cristãos foram martirizados por causa de suas profundas convicções doutrinárias; não abriram mão delas. Ninguém arrisca sua vida por algo em que não acredita fortemente. Os cristãos não negaram Cristo nem Sua palavra; para eles, os fundamentos de sua fé eram nítidos.
O fato é que a igreja desde sua origem, era estruturada na palavra, capaz de divulgar e defender suas doutrinas básicas: estava edificada "sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular"
(Ef. 2.20b). Os apóstolos transmitiram os ensinamentos de Jesus com fidelidade:
"Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei" (1 Co. 11.23a -A R A ); "o que era desde o princípio , o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida (porque a vida foi manifestada , e nós a vimos e testificamos dela, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai e nos foi manifestada)" (1 Jo. 1.1-2).

O QUE É DOUTRINA BÍBLICA

A palavra doutrina significa "ensino ou instrução". No caso é bíblica, porque a sua base é a Bíblia.

OBS : A palavra doutrina se origina do grego "didache", significando ensino ou instrução; seu sinônimo comum é didaskalia. Os dois termos expressam tanto o ato de ensino (sentido ativo) como aquilo quer é ensinado (sentido passivo). Didache aparece cerca de trinta vezes no Novo Testamento, já didaskalia cerca de dezesseis vezes nas epístolas pastorais; cerca de vinte e duas vezes em todo o Novo Testamento.

Doutrina se refere às doutrinas expostas na Bíblia e que representam o alicerce, o sustentáculo de nossa fé. Se descuidarmos, desprezarmos as doutrinas, perderemos a nossa identidade como servos de Deus, como seguidores de Cristo.

OBS : "Doutrina bíblica é um ensino normativo, terminante, final, extraído das Sagradas Escrituras e concernente à fé em Deus e à prática da vida cristã. Esse ensino deve ser desdobrado e embasado com a apropriada referenciação bíblica. Ela é chamada de „sã doutrina‟ (Tt. 2 .1 )".
As doutrinas são uma exposição das verdades centrais ou fundamentais de nossa fé.


Rafael Barra (artnettm@bol.com.br)

Thinking Christian disse...

Obrigado pelo comentário. Pelas citações, provavelmente já deves ter visto o vídeo legendado disponível neste blog, "Um desafio aos pastores". Ali, o P. Washer trata bem disso. Não podemos nos acovardar e deixar de pregar a doutrina bíblica, mesmo que seja desagradavel aos ouvidos contemporâneos.

Postar um comentário

  ©Orthodoxia 2006-2017

TOPO