segunda-feira, dezembro 17, 2007

É razoável afirmar que Deus não existe?

Dois amigos, um cristão e um ateu, discutem no corredor da universidade, quando o segundo esbraveja:

José: Mas é claro que Deus não existe!

Pedro: Como você pode dizer uma coisa dessas?

José: Simples, não posso vê-lo, logo Ele não existe.

Pedro: Não seria esse um argumento primário e infantil?

José: Claro que não.

Pedro: Engraçado, ontem mesmo conversava com meu sobrinho de 9 anos. Perguntei a ele qual dos dois lugares era mais longe: a lua ou Minas Gerais. Ele me disse: “Minas Gerais. A lua eu posso ver, Minas, não”.

José: Não tem nada a ver uma coisa com a outra.

Pedro: Ok, ok... falei brincando, mas eu realmente acho que os dois argumentos seguem a mesma “lógica”. Bom, devido ao tempo, não pretendo provar a existência de Deus. Entretanto, queria apenas demonstrar que não é razoável afirmar que Deus não existe.

José: Prossiga.

Pedro: Bom, se eu afirmar “Não existe uma pedra rosa com pontos amarelos no universo” o que você me diria?

José: Responderia algo do gênero: “Como você sabe disso? O universo é muito grande e tua mente é limitada”.

Pedro: Exatamente. Eu teria de conhecer todo o universo para fazer uma afirmação negativa absoluta desse porte, negando a existência da tal pedra. Qualquer estudante iniciante de filosofia deveria saber que não se pode afirmar o negativo de forma absoluta em certos casos. Ele pode apenas afirmar que tem motivos para acreditar que algo não exista, ou seja, que existem evidências apontando em outra direção.

José: Acho que entendo.

Pedro: Da mesma forma, o ateu não pode afirmar que Deus não existe. Quando afirma isso, ele está pressupondo que tem conhecimento absoluto e infinito para negar que exista alguém (Deus) com conhecimento absoluto e infinito. Percebe a incoerência?

José: Acho que sim...

Pedro: Por isso que até mesmo ateus ferrenhos como Bertrand Russell, quando perceberam a incoerência, mudaram sua postura.

José: Peraí, você está me dizendo que Bertrand Russel passou a acreditar em Deus?

Pedro: Não, não foi isso o que eu disse. Apenas disse que ele percebeu que não podia fazer uma afirmação negativa no absoluto desse gênero. Mas ele continuou não crendo em Deus por acreditar que não existem provas o suficiente para a Sua existência.

José: Ah, sim.

Pedro: Muitas pessoas têm dúvidas honestas em relação a Deus, se Ele existe ou não, e nós, cristãos, devemos respeitá-las e dialogar com elas a respeito das evidências que o Criador nos deixou. Mas precisamos mostrar a incoerência de seus argumentos de forma lógica.

José: Percebo.

Pedro: Que bom... outra hora podemos conversar sobre as várias evidências que apontam para um Criador Inteligente. Estou atrasado para a aula.

José: Obrigado! Até logo! Minha aula também já começou...


Autor: Saulo Rodrigo do Amaral

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

  ©Orthodoxia 2006-2017

TOPO