sexta-feira, julho 23, 2010

O milagre do pensamento

É surpreendente como o Novo Testamento constantemente refere-se à depravação de uma pessoa mencionando a corrupção da mente. Em Efésios 4, Paulo descreve aqueles que estão fora de Cristo em uma sequencia de orações que dizem respeito às faculdades intelectuais de uma pessoa - “na futilidade dos seus pensamentos. Eles estão obscurecidos no entendimento e separados da vida de Deus por causa da ignorância em que estão, devido ao endurecimento dos seus corações”. (Efésios 4:17-18, itálicos meus).

Fora de Cristo, alguma coisa está desordenada na forma como pensamos. Essa grave condição de nossas mentes é contraposta pela transformação que ocorre na salvação de pecadores por Deus. Paulo chama isso de “renovação da mente” e ele ora pelos seus efeitos. (Rom. 12:1-2; Ef. 4:23; Col. 3:10; cf. Ef. 5:10; Fil 1:9-11; Col. 1:9; Slm 6).

As implicações são gloriosas. Eu creio que o que isso significa, no nível mais básico, é que o ato de pensar é uma questão de uma vida transformada pelo Evangelho. Pensar corretamente não tem a ver com talento intelectual. O problema de uma pessoa com a desordem em seu pensamento não é o seu QI, mas sim o seu afastamento do seu Criador.

O ato de pensar e a teologia – pensar a respeito de Deus – é totalmente miraculoso. Para que isso acontecesse Jesus levou nossos pecados em seu corpo na cruz. A menor recepção em nossas mentes da verdade de Deus é miraculosa o suficiente para nos deixar desnorteados e intoxicados pela graça até ficarmos sem palavras. O que você tem que não tenha sido dado? O que você sabe que não tenha sido comprado pelo sangue de Cristo?

Jonathan Parnell

Tradução: Saulo Rodrigo do Amaral

Original: http://readingtowalk.com/2010/07/16/the-miracle-of-thinking/

1 Comentário:

Dan disse...

Palavras de um irmão há quem passei o texto acima via msn:

"Acrescentaria que por decorrencia tal pessoa estaria almaticamente desiquilibrada ou seja, as funções da vontade, emoção e mente estariam fora de lugar e normalmente a emoção seria exagerada e estaria extrapolando as suas atribuições."

Postar um comentário

  ©Orthodoxia 2006-2017

TOPO