terça-feira, agosto 11, 2009

Lloyd-Jones sobre o preparo do pregador

Há um tempo atrás, li alguns capítulos do livro Pregação e Pregadores, do Dr. Lloyd-Jones. Em especial, gostei bastante de um capítulo (p. 155 a 171) em que ele fala sobre a preparação do pregador. Achei interessante e resolvi fazer um pequeno resumo, pois creio que essa preparação serve não apenas para o pregador, mas para qualquer crente. Só que coloquei o resumo em forma de entrevista (o que não é nada criativo) por ser mais didático.
___

Otdx: Como o pregador se prepara, ou deveria se preparar?

Na verdade, o pregador está sempre se preparando. Para ele não há feriado, pois tudo o que faz, seja em férias ou em seu trabalho normal, é relevante para a obra da pregação. A tarefa mais fundamental é a sua própria preparação, e não o sermão em si.

Otdx: O que ele deve fazer para obter esse bom preparo?

Deve manter uma boa disciplina em sua vida, tomar cuidado com o horário e com as distrações do dia-a-dia. Deve observar os horários em que “funciona” melhor, para obter um bom aproveitamento. Para isso, é necessário que ele faça um planejamento de suas atividades.

Otdx: Onde entra a oração nesse preparo?

A oração é vital! Não devemos orar para satisfazer uma norma. É preciso aprender como iniciar. Por exemplo, começar com a leitura de algo que aqueça o nosso espírito. Temos de aprender a usar o nosso “afogador espiritual”. A oração deve continuar durante todo o dia e pode ser breve. Às vezes, uma simples exclamação é uma verdadeira oração. Sempre devemos reagir favoravelmente a todo impulso para orar. “Deus é quem efetua em nós tanto o querer quanto o realizar” (Fp 2.12-13). A oração nos ajuda a pensar, a ler a palavra, a escrever...

Otdx: Com relação ao estudo da Bíblia, quais os seus conselhos?

O grande perigo é lermos a Bíblia ao acaso, pegando somente as passagens de que gostamos. O certo seria lermos a Bíblia pelo menos uma vez por ano, todos os anos. Feita essa leitura geral todos os dias, podemos estudar um livro específico da Bíblia com a ajuda de comentários. Não se deve ler a Bíblia à procura de textos para sermões, mas sim porque ela é um alimento de Deus para a alma. Assim fazendo, logo descobriremos um texto em particular que nos abala, sugerindo um material para o sermão. Quando estiver lendo a Bíblia e algum versículo se destacou, pare e medite nele. Escute-o, fale com ele, até que surja o “esqueleto” de um sermão. Uma dica é ler a Bíblia sempre com um bloco de anotação do lado.

Otdx: O senhor costuma fazer alguma espécie de devocional?

Sim, sim, costumo fazer meu próprio devocional. Leio obras que me ajudam a compreender a Bíblia e a me deleitar nela. Na minha opinião, essa leitura deve vir após a leitura da Bíblia. Uma dica seria ler as obras dos puritanos, que são excepcionais! Temos que atentar para o nosso espírito a cada dia e descobrir a leitura adequada, o remédio apropriado, para aplicar nas diversas fases da nossa vida espiritual. Devemos escolher o nosso material de leitura com muito critério, por amor a nossa própria alma e para ajudar aos outros.

Otdx: Com respeito ao estudo da teologia em si, o que o senhor pode dizer?

Ah, leia teologia sempre! Quanto mais, melhor! Especialmente os clássicos, as grandes obras.

Otdx: O senhor, em algumas ocasiões, falou sobre a importância do estudo da história da igreja. Ela é realmente importante?

O meu ponto de vista é que o cristão deve aprender da história da igreja e deve animar-se a fazê-lo. Para nós, é sempre essencial suplementar a nossa leitura teológica com a leitura da história da Igreja. Se não fizermos isso, podemos cair no erro de sermos meramente abstratos e acadêmicos em nossa visão da verdade, deixando de relacioná-la com os aspectos práticos da vida diária. Gosto bastante de ler biografias e crônicas de homens de Deus, tais como Spurgeon, Whitefield...

Otdx: E sobre apologética?

Leitura apologética é muito importante para nos familiarizarmos com as tendências do pensamento, seja teológico ou filosófico. É importante saber algo sobre o contexto e sobre os pensamentos que influenciam as pessoas, pois a tarefa do pregador consiste em ajudar e proteger as pessoas dos “ventos de doutrina”.

Otdx: O senhor costuma ler algo que não seja especificamente teológico, ou que não se encaixe na chamada “literatura cristã”?

Bom, leituras gerais também são importantes. Se não houver outra razão, que seja pelo descanso mental. Por exemplo, ler boas revistas, história das guerras, ou outro assunto de que você goste. No entanto, não perca muito tempo com isso!

Otdx: Bom, Dr. Lloyd-Jones, muito obrigado pelas suas dicas. Tenho certeza de que elas ajudarão bastantes os pregadores e cristãos em geral. O senhor gostaria de dar um último conselho?

Bom, na verdade, gostaria de deixar dois conselhos. O primeiro deles é: equilibre a sua leitura. Faça um programa para dosar os tipos de leitura: teologia, história da igreja, biografias... Isso é muito proveitoso. Segundo: a finalidade de toda essa leitura não é achar material para o sermão. Não devemos lê-lo, e nem a Bíblia, para arranjar idéias ou arranjar textos. Se fizermos isso, perdemos o alimento espiritual e nos tornamos profissionais. O objetivo de nossas leituras é o alimento e o estímulo geral, para que pensemos com originalidade. Devemos fazer nossas próprias meditações, e não apenas transmitir idéias. O pregador não deve ser um mero canal pelo qual a água flui. Devemos ler e mastigar o que lemos, mas não devemos repetir tudo da maneira como a recebemos, mas comunicar à nossa própria maneira, refletindo, atentando para a necessidade da nossa alma e da igreja.

Por: Saulo R. do Amaral

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

  ©Orthodoxia 2006-2017

TOPO