terça-feira, julho 14, 2009

A demissão de Jonathan Edwards

Era costume de sua igreja conceder o privilégio a qualquer pessoa, mesmo sem ser membro da igreja, para participar da ceia do Senhor. Por requerer uma base estrita para participar da ceia, Jonathan Edwards foi demitido de sua igreja em 1750. D. M. Lloyd-Jones disse que "essa foi uma das coisas mais espantosas que já aconteceram, e deve servir como uma palavra de encorajamento para os ministros e pregadores. Lá estava Edwards - o altaneiro gênio, o poderoso pregador, o homem que estava no centro do grande avivamento - e, todavia, foi derrotado na votação de sua igreja, por duzentos e trinta votos, contra apenas vinte e três a seu favor." Lloyd-Jones conclui: "Não se surpreendam, portanto, irmãos, quanto ao que possa acontecer com vocês em suas igrejas".

Extraído do Livro "Gigantes da Fé", de Franklin Ferreira

Via Mocidade da 1ª Igreja Presbiteriana Conservadora de Goiânia

1 Comentário:

Pr. Roberto A. Rodrigues disse...

Jesus nos deixou claro que no mundo passaríamos por provações. Não somos do mundo, por isso ele nos odeia, e todos quantos querem amar ao mundo, mesmo sendo "cristãos" nos odiarão também.
Preguemos a verdade e com certeza seremos perseguidos até mesmo dentro de nossas igrejas. Infelizmente nos últimos dias os homens sentirão coceiras nos ouvidos, querendo antes seguir histórias sem sentido do que a verdade.
Que Deus nos dê forças para prosseguir.

Parabéns pelo artigo relembrando de Edwards.

Pr. Roberto Rodrigues
adolescentecrente.blogstpot.com

Postar um comentário

  ©Orthodoxia 2006-2017

TOPO