segunda-feira, maio 11, 2009

Glorificando a Deus não o servindo, mas sendo servido por ele

[...] A descoberta foi que não glorificamos a Deus atendendo suas necessidades, mas orando para que ele supra as nossas — com confiança em sua resposta. Aqui estamos no cerne das boas novas do prazer cristão.

A insistência de Deus em que lhe peçamos que ele nos dê ajuda para que receba glória (SL 50.15) impõe-nos o fato surpreendente de que temos de parar de servir a Deus e tomar o cuidado especial de deixar que ele nos sirva, para não roubarmos dele a sua glória.

Isso soa muito estranho. A maioria de nós pensa que servir a Deus é algo totalmente positivo. Nunca pensamos que servir a Deus pode ser um insulto para ele. No entanto, meditar no sentido da oração requer que pensemos assim.

Atos 17.24, 25 deixa isso claro:

O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em santuários feitos por mãos humanas. Nem é servido por mãos humanas, como se de alguma coisa precisasse; pois ele mesmo é quem a todos dá vida, respiração e tudo mais.

Esse é o mesmo raciocínio do texto de Robinson Crusoé sobre oração:

Se eu tivesse fome, não to diria, pois o mundo é meu e quanto nele se contém. [...] Invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás" (SL 50.12, 15).

É evidente que há uma maneira de servir a Deus que o diminuiria, como carente do nosso serviço. "O Filho do homem não veio para ser servido" (Mc 10.45). Ele quer ser o servo. Ele quer receber a glória como doador.

[...]

Isso quer dizer que não devemos servir a Cristo? Recebemos a ordem: "Servi ao Senhor!" (Rm 12.11). Aqueles que não servem a Cristo são repreendidos (Rm 16.18). Sim, temos de servi-lo. Mas tomaremos cuidado para não servi-lo de uma maneira que indica uma deficiência da sua parte ou nos exalta como indispensáveis.

Servir a Deus é sempre receber

Como, então, devemos servir? Salmos 123.2 indica o caminho: "Como os olhos dos servos estão fitos nas mãos dos seus senhores, e os olhos da serva, na mão de sua senhora, assim os nossos olhos estão fitos no Senhor, nosso Deus, até que se compadeça de nós". A maneira de servir a Deus de modo que ele receba a glória é olhando para ele para receber misericórdia. A oração evita que o serviço seja uma expressão de orgulho.

Todo servo que tenta livrar-se do domínio divino e estabelecer uma parceria de igual para igual com o seu senhor celestial está em revolta contra o Criador. Deus não faz trocas. Ele dá a misericórdia da vida aos servos que querem tê-la, e o salário da morte aos que não querem. O bom serviço é sempre e fundamentalmente receber misericórdia, não prestar ajuda. Portanto, não há bom serviço sem oração.

John Piper em Em Busca de Deus

3 Comentários:

Vilma disse...

Nem imagina como através deste texto, Deus hoje falou comigo, depois do que falei com Ele de manhã.
Percebi o meu pecado.... ao não permitir que Ele me sirva. Cega que tenho andado!
Deus o abençoe por estas palavras, que me foram tão edificantes e libertadoras.

Thinking Christian disse...

Se tiveres a oportunidade, leia o livro inteiro do Piper, "Em Busca de Deus". É surpreendente! Mas é tão bom quando descobrimos que somos tão dependentes de Deus que, mesmo quando o servimos, na verdade é Ele quem nos serve, pois Ele de nada precisa, é quem dá tudo a todos e o que realiza em nós o querer e o efetuar.

Abraço!

Anônimo disse...

Devemos adora-lo, ama-lo exaltar a Deus de todo o coração de todo o entendimento e de todas as nossas forças; na GRAÇA recebemos, é Deus nos servindo; recebemos até seu único Filho para morrer pelos nossos pecados." JOÃO (cap. 4.23) Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem."

Postar um comentário

  ©Orthodoxia 2006-2017

TOPO