quarta-feira, 18 de março de 2009

Meditação na Palavra

A coisa mais importante que tenho a fazer é ler a Palavra de Deus e meditar nela. Assim meu coração pode ser confortado, encorajado, alertado, reprovado e instruído.

Anteriormente, assim que levantava, eu começava a orar tão logo quanto possível. Mas, freqüentemente, eu gastava entre quinze minutos e uma hora, sobre os joelhos, lutando para orar enquanto minha mente vagava. Agora raramente tenho esse problema. Como meu coração está nutrido com a verdade da Palavra, sou levado à verdadeira comunhão com Deus. Eu falo com meu Pai e meu Amigo (embora eu não seja digno) a respeito das coisas que Ele me traz em Sua preciosa presença.

Sempre me surpreende eu não ter visto a importância de meditar nas Escritura mais cedo em minha vida cristã. Assim como o homem exterior não está apto para o trabalho por qualquer extensão de tempo a menos que coma, assim também o homem interior. Qual é o alimento para o homem interior? Não é a oração, mas a Palavra de Deus – não a simples leitura da Palavra de Deus, de forma que ela apenas passe por nossas mentes, assim como a água corre por um encanamento. Não, nós devemos considerar o que lemos, examinar cuidadosamente, e aplicar aos nossos corações.

Quando oramos falamos com Deus. Este exercício da alma pode ser melhor executado após o homem interior ter sido alimentado pela meditação na Palavra de Deus. Através da Sua palavra, nosso Pai fala conosco, nos encoraja nos conforta, nos instrui, nos humilha e nos reprova. Podemos meditar de maneira frutífera, com a benção de Deus, embora estejamos espiritualmente enfraquecidos, quanto mais fracos estivermos, de mais meditação precisamos para fortalecer nosso homem interior. A meditação na Palavra de Deus tem me dado a ajuda e força para passar em paz por profundas provações. Como é diferente quando a alma está renovada em comunhão com Deus logo cedo pela manhã! Sem preparação espiritual, o serviço, as provações, e as tentações do dia podem se tornar grandes demais para que os possamos enfrentar.

2 Comentários:

Walter Cruz disse...

Li esse trecho recentemente em Teologia da Alegria. Lembro-me de ter lido um livro de ou sobre George Muller quanto era adolescente, suas orações e vida me edificaram bastante, deu até vontade de relê-lo!

Ripchip disse...

Aconselho a ler a "autobiografia de George Muller", é de onde tirei esse trecho. Esse homem põe a teologia da prosperidade no lixo. Uma vida de oração e dependência de Deus em todas as coisas e nunca padeceu necessidade alguma. É um exemplo que vale observar.
Abraço

Postar um comentário

  ©Orthodoxia 2006-2017

TOPO