terça-feira, abril 29, 2008

No Solo da Gênese

BereshitSobre o por que do relato da Criação e por que ele foi colocado logo na abertura da Torá e, mais ainda, qual a importância fundamental deste capítulo da Torá, já que ela busca educar os homens e não apenas descrever Deus e seus atos maravilhosos, o Rabino Moshe Grylak escreve:

A resposta é que só haverá sentido no que vem a seguir se partirmos do pressuposto da Criação. Somente se soubermos que o mundo foi criado por Deus, um Ser Onipotente e Perfeito que transcende ao Universo e que criou o mundo com liberdade absoluta, é que poderemos dar sentido a qualquer discurso que verse sobre questões morais, sobre o bem e o mal, sobre honestidade, sobre justiça e injustiça e, principalmente, sobre a responsabilidade do homem pelos seus atos. Pois o homem foi criado à Sua semelhança e experimenta a liberdade Divina.

No entanto, se o mundo não houvesse surgido – Deus nos livre – por obra dos mistérios do Criador, a moral seria a maior das ilusões sobre a face da Terra. Ácidos, gases e moléculas não são “bons” ou “maus”. Se a matéria do mundo é sua única existência e realidade, então a moral não possui qualquer concretude intrínseca. Valores, reflexões sobre o bem e o mal, posturas morais e éticas, tudo isto seria, no melhor dos casos, apenas pontos de vista daqueles que os postulam. Este é o grande dilema, adequadamente expresso pelo filósofo ateu Bertrand Russel:

“Não sei como refutar as hipóteses referentes à relatividade da moral. Por outro lado, é difícil crer que a única coisa incorreta na crueldade selvagem seja o fato de eu não apreciá-la.”

Este é o grave problema do ateu. Sua mente não crê em Deus e seu coração segue sua mente. Sua razão o leva apenas a “não gostar”, por exemplo, dos nazistas, os quais tinham uma visão distinta sobre o bem e o mal. Ao mesmo tempo, seu coração sabe que a crueldade deles era essencialmente má e se originava no profano.

É por esse motivo que a Torá começa pela história da Criação do Mundo por Deus. Esta é a base que possibilita a existência da moral e da exigência de atitudes morais por parte dos homens. Esta é a verdadeira medida segundo a qual serão avaliados os pensamentos e as ações dos homens, sejam estas ações boas ou más. A Criação do Mundo é o dado fundamental que nos possibilita encontrar sentido na história humana e nos atos de cada indivíduo no contexto desta história.

Moshe Grylak - Reflexões sobre a Torá

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

  ©Orthodoxia 2006-2017

TOPO